Unidades Gestoras de Atividade

Missão
Prestação de cuidados de saúde diferenciados e programados em regime ambulatório, nomeadamente consultas efetuadas por médicos especialistas.
Objetiva também a prestação de cuidados em tempo útil, promovendo a simplificação procedimentos administrativos e a racionalização dos recursos disponíveis, de modo a garantira acessibilidade dos utentes, a articulação e continuidade dos cuidados com eficiência e qualidade.
Prestação de cuidados de saúde em regime de ambulatório, sob a forma de consulta médica, de enfermagem e outros profissionais de saúde, bem como atos complementares de terapêutica.

Objetivos

  • Melhorar a articulação entre os diferentes níveis de cuidados, garantindo a sua continuidade e a sua prestação em tempo útil, atendendo sempre à disponibilidade e limitações do próprio serviço;
  • Racionalizar e maximizar a utilização dos recursos existentes, simplificando os procedimentos administrativos e adotando-se uma correta e mais justa acessibilidade dos Utentes aos cuidados de saúde;
  • Promover níveis acrescidos de realização e satisfação dos profissionais com uma melhor e mais adequada racionalização das tarefas, e dos Utentes através de uma melhor acessibilidade.

Definição dos serviços prestados
A Consulta Externa do Hospital Pêro da Covilhã tem por finalidade a prestação de cuidados de saúde diferenciados correspondentes ao seu nível de diferenciação técnica e programados em regime de ambulatório.

Áreas da atividade assistencial
Consultas de especialidades médicas e não médicas, meios complementares de diagnóstico e terapêutica, bem como outros tratamentos.

Organização e funcionamento
O serviço de Consulta Externa está localizado no piso 1 do Hospital Pêro da Covilhã E.P.E. e funciona, em horário normal, das 8:30 às 18:00 horas, de Segunda-feira a Sexta-feira. Contudo, é normal prestar serviço até às 20 horas ou para além desta hora, nos casos em que haja necessidade. Em casos pontuais, realizam-se também consultas aos Sábados, sendo que neste momento apenas se realizam duas consultas por mês, na especialidade de Dermatologia. Por norma, existe apoio Administrativo, enquanto permanecem Utentes na Consulta Externa que vieram para consultas, contudo esse apoio poderá concentrar-se apenas num posto de atendimento, quando tal se verifique em horário para além do período normal de atendimento.

Meios e disponibilidades
A Consulta Externa compreende um conjunto de Secretariados, Salas de Espera, Gabinetes de Consulta e Salas de Tratamento e Realização de Exames, com a sua ocupação presentemente actualizada. De modo a que a utilização esteja sistematicamente optimizada e se conheça permanentemente a sua disponibilidade é obrigatória a informação de qualquer alteração surgida. A gestão dos gabinetes é da responsabilidade da coordenação de Enfermagem, pelo que é da responsabilidade desta a manutenção de um plano actualizado da ocupação semanal dos gabinetes pelas várias especialidade.

Acesso aos cuidados da Consulta Externa

  • A Consulta Externa possui um sistema de inscrição, marcação e atendimento que lhe permite melhorar a organização, gestão e prestação de cuidados de saúde e que promove a transparência e a equidade no acesso, tendo sempre em atenção as limitações e as disponibilidades quer em termos técnicos quer em termos humanos.
  • O acesso às Consultas Externas Hospitalares por parte dos Utentes do SNS, provenientes dos Centros de Saúde que integram a área de influência do Centro Hospitalar Cova da Beira E.P.E., pressupõe que o encaminhamento seja feito através de referência médica e informação clínica passadas no Centro de Saúde de que é originário o Utente.
  • Actualmente, é possível efectuar electronicamente os pedidos de marcação, através da aplicação Alert P1, evitando que o Utente se desloque ao Hospital. A consulta também poderá ser marcada presencialmente junto da Central de Marcações ou através de Fax, desde que sejam enviados os elementos necessários. Os pedidos por telefone ou por E-mail estão condicionados ao envio de referência médica com informação clínica, pois os utentes têm que ser encaminhados através do médico de família, no Centro de Saúde.
  • As consultas de Utentes de empresas e subsistemas não inscritos nos Centros de Saúde também necessitam de uma marcação prévia com referência médica e informação clínica.
  • O acesso dos Utentes à Consulta Externa do Hospital Pêro da Covilhã pressupõe a prévia apresentação da documentação necessária à efectivação da consulta e/ou tratamento, nomeadamente o Cartão de Utente e/ou Cartão de Cidadão, bem como documento comprovativo de isenção válido, caso haja isenção no pagamento das taxas moderadoras.

Inscrição e marcação de primeiras consultas

  • A inscrição e marcação das primeiras consultas, para os utentes do SNS originários dos Centros de Saúde da área, é processada na Central de Marcações, ou então nos Secretariados onde as consultas se irão realizar, de acordo com o número de quotas previamente disponibilizadas por cada especialidade hospitalar. As restantes primeiras consultas deverão também ser inscritas na Central de Marcações ou Secretariado respectivo que, após recepção dos documentos contendo a respectiva informação médica e administrativa, procederá ao agendamento das consultas ou então, no caso de ser uma especialidade com triagem, remeterá os pedidos ao Director de Serviço ou Responsável/Triador para a Consulta de cada especialidade.
  • Todas as primeiras consultas devem ser acompanhadas de informação clínica, cumprindo os protocolos de exames clínicos propostos por cada especialidade. Quanto aos meios complementares de diagnóstico, pode o Utente ser o portador dos mesmos, no dia da primeira consulta, caso os mesmos não sejam necessários para efectuar qualquer tipo de triagem.
  • A Central de Marcações e os outros Secretariados que marcam consultas, agendam as mesmas, de acordo com os critérios definidos para cada uma das especialidades e de acordo com as disponibilidades de agenda, devolvendo aos respectivos Centros de Saúde os pedidos recusados, não autorizados ou não considerados.
  • O Secretariado que efectua a marcação, providencia o envio ao Utente de uma convocatória, informando do dia e hora em que a primeira consulta será realizada. Nos casos em que haja pouca margem de tempo para avisar o Utente, poderão esses avisos ser efectuados por telefone ou através de mensagem (SMS).

Meios para a marcação de primeiras consultas
A marcação pode ser efectuada presencialmente, fazendo-se acompanhar de todos os elementos necessários, nomeadamente referência médica com informação clínica, meios auxiliares de diagnóstico, caso seja necessário, e documento identificativo.
Caso o Utente não tenha Processo Clínico aberto no hospital, será necessário também os dados do Bilhete de Identidade, bem como a morada e telefone ou telemóvel e e-mail, caso exista.
Estes elementos também poderão ser enviados pelo Utente por correio ou através do Centro de Saúde onde a referência médica foi passada, sendo que o envio pelos Centros de Saúde deve ser protocolado ou efectuado informaticamente através da Aplicação Alert P1.

Consultas subsequentes

  • A marcação de consultas subsequentes é da responsabilidade dos médicos que seguem os doentes. A marcação será efectuada para o dia que o médico indicar ou para outra data, segundo os critérios definidos para a marcação de consultas seguintes da especialidade em causa.
  • Caso o médico não efectue informaticamente a marcação da consulta seguinte, cada um dos vários Secretariados da Consulta Externa é responsável pelo registo e marcação do dia da consulta, informando, sempre que possível, a data e hora da próxima consulta, no dia em que o Utente é atendido. Sempre que a marcação não possa ser efectuada na presença do Utente, o Secretariado respectivo deverá enviar uma convocatória ao Utente com a indicação do dia, hora e local da consulta.
  • Estando o Utente a ser seguido no Hospital, o Secretariado respectivo assegurará a marcação de todas as consultas eventualmente necessárias, sendo considerada uma primeira consulta sempre que o Utente é enviado da especialidade inicialmente referenciada para outra especialidade.

Localização
No Hospital Pêro da Covilhã  localiza-se no Piso 1
No Hospital do Fundão localiza-se no Piso 0

Missão
Estabelecer normas para o processamento de dispositivos médicos, baseadas em padrões de qualidade.
Estabelecer condições de segurança para os profissionais envolvidos no processamento dos dispositivos médicos.

Caraterização do Serviço
A Unidade de Esterilização é uma unidade funcional de apoio clínico, dotada de autonomia técnica, de recursos materiais e humanos próprios de forma a realizar centralizadamente, isto é, para todos os serviços do estabelecimento de saúde em que se integra, as atividades inerentes ao processamento dos dispositivos médicos reutilizáveis, quer sejam desinfetados ou esterilizados.

Finalidades do Serviço

  • Assegurar o processamento dos dispositivos médicos reutilizáveis necessários à prestação de cuidados ao utente, segundo normas que garantam a qualidade técnica e a otimização dos recursos;
  • Assegurar a distribuição dos dispositivos médicos desinfetados ou esterilizados aos serviços utilizadores;
  • Promover as ações de formação necessárias à correta circulação, manipulação e tratamento dos dispositivos contaminados;
  • Colaborar com a Comissão de Controlo da Infeção na prevenção e controlo de Infeções Nosocomiais.

Áreas Funcionais

  • Descontaminação;
  • Triagem;
  • Preparação e embalagem;
  • Preparação de têxteis;
  • Esterilização;
  • Armazém de estéreis.

Diretora
Maria de Conceição Jorge Martins

Enfermeira Coordenadora
Maria da Glória Gouveia Félix

Contactos
Telf.: 275 330 000  Ext: 12402
E-mail: cmartins@chcbeira.min-saude.pt

Missão
Prestação de cuidados a doentes em situação de dependência que não necessitam de internamento, constituindo um complemento essencial da assistência que o hospital presta no internamento, ou uma alternativa a este, para os casos em que o doente, procurando um serviço de consultas externas ou urgência, se verifique poder ser assistido no seu domicílio.
Ensino e treino de competências para habilitação de cuidadores informais.

História do Serviço
Data de fevereiro de 1996 a altura em que o Hospital do Fundão saiu da sua estrutura física e entrou no domicílio dos seus doentes e famílias, ainda numa fase anterior à aprovação do Protocolo que viria a estabelecer as diretrizes para a criação de um serviço domiciliário. Subjacente à criação deste serviço, esteve a preocupação em criar condições de modo a permitir a reintegração precoce no seu meio familiar e social, dos doentes que, não necessitando de hospitalização, requerem continuidade de cuidados no seu domicílio, com a necessária articulação e rentabilização de todos os recursos institucionais, humanos e materiais disponíveis.
O trabalho desenvolvido tem potencializado nos doentes e familiares capacidades para interagir, de acordo com as responsabilidades de gerir a doença e as suas complicações, interiorizando as expectativas das instituições e profissionais de saúde e sociedade, particularmente em relação aos cuidados a doentes em situação de dependência, favorecendo a adaptação do doente e família à doença e incapacidade.

Estrutura do serviço (unidades funcionais)

  • Articula ações com outros níveis de assistência e com os serviços clínicos do CHUCB e outras instituições de saúde e de ação social.
  • Colabora, através de protocolo, com o Centro de Saúde do Fundão.

Atividade docente
Colabora no ensino clínico de licenciatura e mestrado em Ciências de Enfermagem e na formação de cuidadores informais.

Atividade científica e de investigação
Colabora, sempre que solicitado, em trabalhos e estudos na área clínica.

Horário de Funcionamento
Diariamente, das 8:30 às 20:00

Enfermeira Chefe
Ana Paula Salgueiro Fava de Freitas Rodrigo
Enfermeira Especialista na área de Saúde Pública – Cédula profissional: 2-E-23169
Telm.: 966 590 076
Extensão: 3022
E-mail: anapaulasalgueiro@hotmail.com
E-mail profissional: apfreitas@chcbeira.min-saude.pt

Colaboração dos médicos e do serviço Social e Religioso do CHUCB. Colaboração dos médicos de família.

Localização
Hospital do Fundão

Missão
Prestação de cuidados de saúde diferenciados e programados em regime ambulatório, nomeadamente consultas efetuadas por médicos especialistas.
Objetiva também a prestação de cuidados em tempo útil, promovendo a simplificação procedimentos administrativos e a racionalização dos recursos disponíveis, de modo a garantira acessibilidade dos utentes, a articulação e continuidade dos cuidados com eficiência e qualidade.
Prestação de cuidados de saúde em regime de ambulatório, sob a forma de consulta médica, de enfermagem e outros profissionais de saúde, bem como atos complementares de terapêutica.

Objetivos

  • Melhorar a articulação entre os diferentes níveis de cuidados, garantindo a sua continuidade e a sua prestação em tempo útil, atendendo sempre à disponibilidade e limitações do próprio serviço;
  • Racionalizar e maximizar a utilização dos recursos existentes, simplificando os procedimentos administrativos e adotando-se uma correta e mais justa acessibilidade dos Utentes aos cuidados de saúde;
  • Promover níveis acrescidos de realização e satisfação dos profissionais com uma melhor e mais adequada racionalização das tarefas, e dos Utentes através de uma melhor acessibilidade.

Definição dos serviços prestados
A Consulta Externa do Hospital Pêro da Covilhã tem por finalidade a prestação de cuidados de saúde diferenciados correspondentes ao seu nível de diferenciação técnica e programados em regime de ambulatório.

Áreas da atividade assistencial
Consultas de especialidades médicas e não médicas, meios complementares de diagnóstico e terapêutica, bem como outros tratamentos.

Organização e funcionamento
O serviço de Consulta Externa está localizado no piso 1 do Hospital Pêro da Covilhã E.P.E. e funciona, em horário normal, das 8:30 às 18:00 horas, de Segunda-feira a Sexta-feira. Contudo, é normal prestar serviço até às 20 horas ou para além desta hora, nos casos em que haja necessidade. Em casos pontuais, realizam-se também consultas aos Sábados, sendo que neste momento apenas se realizam duas consultas por mês, na especialidade de Dermatologia. Por norma, existe apoio Administrativo, enquanto permanecem Utentes na Consulta Externa que vieram para consultas, contudo esse apoio poderá concentrar-se apenas num posto de atendimento, quando tal se verifique em horário para além do período normal de atendimento.

Meios e disponibilidades
A Consulta Externa compreende um conjunto de Secretariados, Salas de Espera, Gabinetes de Consulta e Salas de Tratamento e Realização de Exames, com a sua ocupação presentemente actualizada. De modo a que a utilização esteja sistematicamente optimizada e se conheça permanentemente a sua disponibilidade é obrigatória a informação de qualquer alteração surgida. A gestão dos gabinetes é da responsabilidade da coordenação de Enfermagem, pelo que é da responsabilidade desta a manutenção de um plano actualizado da ocupação semanal dos gabinetes pelas várias especialidade.

Acesso aos cuidados da Consulta Externa

  • A Consulta Externa possui um sistema de inscrição, marcação e atendimento que lhe permite melhorar a organização, gestão e prestação de cuidados de saúde e que promove a transparência e a equidade no acesso, tendo sempre em atenção as limitações e as disponibilidades quer em termos técnicos quer em termos humanos.
  • O acesso às Consultas Externas Hospitalares por parte dos Utentes do SNS, provenientes dos Centros de Saúde que integram a área de influência do Centro Hospitalar Cova da Beira E.P.E., pressupõe que o encaminhamento seja feito através de referência médica e informação clínica passadas no Centro de Saúde de que é originário o Utente.
  • Actualmente, é possível efectuar electronicamente os pedidos de marcação, através da aplicação Alert P1, evitando que o Utente se desloque ao Hospital. A consulta também poderá ser marcada presencialmente junto da Central de Marcações ou através de Fax, desde que sejam enviados os elementos necessários. Os pedidos por telefone ou por E-mail estão condicionados ao envio de referência médica com informação clínica, pois os utentes têm que ser encaminhados através do médico de família, no Centro de Saúde.
  • As consultas de Utentes de empresas e subsistemas não inscritos nos Centros de Saúde também necessitam de uma marcação prévia com referência médica e informação clínica.
  • O acesso dos Utentes à Consulta Externa do Hospital Pêro da Covilhã pressupõe a prévia apresentação da documentação necessária à efectivação da consulta e/ou tratamento, nomeadamente o Cartão de Utente e/ou Cartão de Cidadão, bem como documento comprovativo de isenção válido, caso haja isenção no pagamento das taxas moderadoras.

Inscrição e marcação de primeiras consultas

  • A inscrição e marcação das primeiras consultas, para os utentes do SNS originários dos Centros de Saúde da área, é processada na Central de Marcações, ou então nos Secretariados onde as consultas se irão realizar, de acordo com o número de quotas previamente disponibilizadas por cada especialidade hospitalar. As restantes primeiras consultas deverão também ser inscritas na Central de Marcações ou Secretariado respectivo que, após recepção dos documentos contendo a respectiva informação médica e administrativa, procederá ao agendamento das consultas ou então, no caso de ser uma especialidade com triagem, remeterá os pedidos ao Director de Serviço ou Responsável/Triador para a Consulta de cada especialidade.
  • Todas as primeiras consultas devem ser acompanhadas de informação clínica, cumprindo os protocolos de exames clínicos propostos por cada especialidade. Quanto aos meios complementares de diagnóstico, pode o Utente ser o portador dos mesmos, no dia da primeira consulta, caso os mesmos não sejam necessários para efectuar qualquer tipo de triagem.
  • A Central de Marcações e os outros Secretariados que marcam consultas, agendam as mesmas, de acordo com os critérios definidos para cada uma das especialidades e de acordo com as disponibilidades de agenda, devolvendo aos respectivos Centros de Saúde os pedidos recusados, não autorizados ou não considerados.
  • O Secretariado que efectua a marcação, providencia o envio ao Utente de uma convocatória, informando do dia e hora em que a primeira consulta será realizada. Nos casos em que haja pouca margem de tempo para avisar o Utente, poderão esses avisos ser efectuados por telefone ou através de mensagem (SMS).

Meios para a marcação de primeiras consultas
A marcação pode ser efectuada presencialmente, fazendo-se acompanhar de todos os elementos necessários, nomeadamente referência médica com informação clínica, meios auxiliares de diagnóstico, caso seja necessário, e documento identificativo.
Caso o Utente não tenha Processo Clínico aberto no hospital, será necessário também os dados do Bilhete de Identidade, bem como a morada e telefone ou telemóvel e e-mail, caso exista.
Estes elementos também poderão ser enviados pelo Utente por correio ou através do Centro de Saúde onde a referência médica foi passada, sendo que o envio pelos Centros de Saúde deve ser protocolado ou efectuado informaticamente através da Aplicação Alert P1.

Consultas subsequentes

  • A marcação de consultas subsequentes é da responsabilidade dos médicos que seguem os doentes. A marcação será efectuada para o dia que o médico indicar ou para outra data, segundo os critérios definidos para a marcação de consultas seguintes da especialidade em causa.
  • Caso o médico não efectue informaticamente a marcação da consulta seguinte, cada um dos vários Secretariados da Consulta Externa é responsável pelo registo e marcação do dia da consulta, informando, sempre que possível, a data e hora da próxima consulta, no dia em que o Utente é atendido. Sempre que a marcação não possa ser efectuada na presença do Utente, o Secretariado respectivo deverá enviar uma convocatória ao Utente com a indicação do dia, hora e local da consulta.
  • Estando o Utente a ser seguido no Hospital, o Secretariado respectivo assegurará a marcação de todas as consultas eventualmente necessárias, sendo considerada uma primeira consulta sempre que o Utente é enviado da especialidade inicialmente referenciada para outra especialidade.

Localização
No Hospital Pêro da Covilhã  localiza-se no Piso 1
No Hospital do Fundão localiza-se no Piso 0

Diretor
Reinaldo Marcelino Rodrigues Santos Almeida

Enfermeira Chefe
Maria de Conceição Jorge Martins

Contactos
Telf.: 275 330 000  Ext. 12400

Diretor
Reinaldo Marcelino Rodrigues Santos Almeida

Enfermeira Chefe
Maria de Conceição Jorge Martins

Contactos 
Telf.: 275 330 000  Ext. 12501
E-mail: cirurgia.ambulatorio@chcbeira.min-saude.pt  

Missão
O hospital de dia recebeu os primeiros utentes, nas novas instalações do CHUCB, no ano de 2000. Este serviço rapidamente demonstrou a sua importância, não parando de crescer desde a sua abertura até à atualidade.
Tem como missão a prestação de cuidados de saúde em regime de ambulatório, das várias especialidades médicas e cirúrgicas do CHUCB, dando ênfase à Oncologia Médica, Pneumologia Oncológica, Hemato-Oncologia e Consulta da Dor. Desta forma, realizam-se consultas de diagnóstico, de decisão terapêutica e de seguimento.

Na área de Oncologia Médica incluem-se a:

  • patologia de mama;
  • patologia digestiva;
  • patologia de urologia;
  • patologia ginecológica;
  • patologia de tecidos moles e osso.

Na área de Pneumologia Oncológica incluem-se:

  • patologia do pulmão.

Na área de Hemato-Oncologia incluem-se:

  • patologia hematológica.

A Consulta da Dor:

  • tem como objetivo reduzir a dor e o sofrimento associado, e reabilitar a Pessoa com dor crónica nas vertentes física, psicológica e social.

A terapêutica em ambulatório, demonstrou a influência que pode exercer na qualidade de vida dos utentes, por razões de inserção familiar/social e também nos aspetos económico-financeiros. Os cuidados privilegiam o envolvimento do doente e família no processo terapêutico, através do ensino personalizado, a fim de garantir elevados níveis de qualidade e humanismo.
Incluem-se também atividades de ensino e formação no âmbito da oncologia.
A vertente técnica tem tido evolução constante, acompanhando permanentemente os progressos científicos, pela necessidade de encontrar novas terapêuticas ou melhorar a eficácia das existentes. Adequam-se os recursos existentes, com o objetivo de alcançar a satisfação dos doentes e colaboradores.

Diretora
Maria Manuela Veiga Marques Ribeiro Görtz

Enfermeira Chefe
Manuela Marques dos Santos

Horário de Funcionamento
De segunda a sexta-feira das 8:00 às 16:00

Contactos
Telf.: 275 330 000  Ext. 12200/12209
E-mail: chcbhdia@gmail.com

Localização
Hospital Pêro da Covilhã – Piso 1